5 Filmes de Ficção Científica fora do mainstream com boas idéias para RPG

27/10/2017 | Hyperdrive | Por: Ghost

“Matrix”, “Alien”, “Predador”, “Exterminador do Futuro”, “Vingador do Futuro”, “Blade Runner”… A lista de filmes com temática de ficção científica com boas idéias que podem ser chupinhadas para a sua campanha/aventura/cenário de RPG é imensa.

Só que todos os filmes que citamos são bastante mainstream, de modo que fica bem difícil aproveitar algo deles e ao mesmo tempo ter alguma surpresa para os seus jogadores. Então, que acham de relembrarmos (ou apresentarmos) alguns filmes de ficção científica com ideias bem legais, mas que não são assim tão conhecidos do público (especialmente mais jovem)?

A ideia aqui é citar o filme, dar uma breve sinopse (maneirando bastante nos spoilers, até para não dar o ouro para os seus jogadores – pode ter certeza de que eles também estão lendo esta matéria), apenas para instigar a assistir aos filmes e pegar as ideias direto lá.

Sem mais delongas, vamos à lista que, como de costume, não apresentamos em nenhuma ordem particular.

5 – O Buraco Negro (também chamado de “O Abismo Negro”)

(The Black Hole – 1979)

O filme é de 79, então vamos dar um desconto para os efeitos, ok? | Fonte: Reprodução

Uma nave exploradora Palomino encontra uma outra nave desaparecida há muito anos, a Cygnus, em local próximo a um buraco negro. À bordo, apenas um sobrevivente: o misterioso Dr. Hans Reinhardt, que substituiu a tripulação morta por robôs que ele mesmo projetou e construiu ao longo dos anos. O Dr tem um plano ousado: usar a Cygnus para ir até onde ninguém jamais sonhou: o outro lado do buraco negro.

O filme foi produzido na esteira do sucesso de Star Wars, mas se efeitos não são tão competentes, o roteiro é bastante interessante, e conta com algumas reviravoltas, além de tratar de algumas questões tão adultas que você nem vai acreditar que se trata de um filme produzido pela Disney. Apesar de partir de um dos clichês mais clássicos da ficção científica (a nave desaparecida e reencontrada após décadas), com poucas adaptações rende um excelente one-shot, ou mesmo uma bela aventura introdutória para campanha.

Destaque para os incrivelmente carismáticos robôs V.I.N.C.E.N.T. e B.O.B., além do assustador Maximilian (que chegou a render pesadelos a este que vos escreve), e da atuação primorosa dos premiados Maximilian Schell e Anthony Perkins.

4 – O Segredo do Abismo

(The Abyss – 1989)

Essa cena é uma daquelas clássicas do cinema. | Fonte: Reprodução

Obra do nosso conhecidíssimo e muito querido diretor James Cameron, o mago dos filmes de ação (sinceramente: acho que ninguém consegue dirigir filmes de ação com mais competência do que ele). Aqui Cameron nos apresenta uma plataforma submarina de exploração de petróleo, que se vê solicitada a ajudar um submarino nuclear americano, que sofreu um acidente devido a razões misteriosas (o acidente teria ocorrido enquanto ele perseguia um suposto submarino russo ultra-rápido).

Obviamente o resgate dá errado, a missão se torna uma luta pela sobrevivência, e a tripulação descobre a verdade sobre o tal “submarino ultra-rápido”.

Aqui temos uma combinação matadora de elementos para deixar seus jogadores sentados na ponta das cadeiras: o mistério do submarino, a pressão devido aos recursos limitados (a história se passa centenas de metros abaixo do nível do mar) e ao isolamento da situação. É um dos filmes menos comentados de Cameron mas, IMHO, um dos melhores.

No elenco os excelentes Ed Harris e Mary Elizabeth Mastrantonio.

3 – Runaway – Fora de Controle

(Runaway – 1984)

Esses penteados que marcaram época… | Fonte: Reprodução

Escrito e dirigido por ninguém menos que Michael Crichton (o gênio autor de “O Parque dos Dinossauros”, “Enigma de Andrômeda” e outros), Runaway é um filme que respira oitentismo. Em um futuro próximo, no qual robôs de diversos tipos são comuns e realizam muitas tarefas cotidianas no lugar de humanos, existe uma divisão especial da polícia para lidar com as máquinas quando elas “se rebelam” (ou apenas dão defeitos perigosos). Essa divisão é algo como um esquadrão anti-bombas, especializada em lidar com robôs perigosos descontrolados.

Obviamente, a ideia é que os jogadores façam parte dessa divisão.

No elenco Tom Selleck (o eterno Magnum) e Gene Simmons (Sim! O baixista e vocalista do Kiss!).

2 – Gattaca

(Gattaca – 1997)

Dentre toda a lista, talvez esse seja o mais emblemático. | Fonte: Reprodução

O filme mais recente de nossa lista (e mesmo assim com 20 anos de idade) é uma verdadeira pérola! Uma sociedade em um futuro não muito distante, no qual os bebês não são concebidos da forma tradicional. No futuro de Gattaca os pais vão até uma clínica de manipulação genética e encomendam seus filhos, escolhendo quais genes devem ser ativados e, assim, quais serão os talentos e habilidades de seus rebentos. Músicos natos? Gênios da ciência? Atletas de elite? Tudo isso está disponível, pelo devido preço.

Obviamente, ainda existem pessoas concebidas da maneira bíblica. Ocorre que pessoas normais em um mundo cheio de talentos super dotados ficam relegadas apenas a trabalhos considerados de “segunda classe”.

O nosso protagonista, interpretado por um ainda jovem Ethan Hawke é exatamente uma dessas pessoas. E pior: ele seria considerado fisicamente limitado mesmo em nosso mundo, já que porta uma série de doenças respiratórias e é naturalmente franzino. Seu sonho? Tornar-se um astronauta. E, se em nosso mundo isso é um tremendo feito, imaginem no futuro de Gattaca, cheio de humanos perfeitos.

O filme é uma verdadeira aula sobre os perigos da má utilização da manipulação genética e sobre como uma pessoa determinada pode ir longe.

Nesse mundo os jogadores podem ser agentes especializados em encontrar e deter pessoas comuns que se passam por humanos “perfeitos” (veja o filme e vai entender. Há toda uma indústria clandestina especializada nesse ramo), ou as próprias pessoas comuns, com algum bom motivo para se passar por humanos “perfeitos”.

O elenco ainda conta com Uma Thurman e Jude Law.

1 – Eles Vivem

(They Live! – 1988)

Só me pergunto uma coisa: o que é essa maquiagem? | Fonte: Reprodução

Caros leitores e leitoras… Temos aqui um belo exemplar de diamante escondido.

Eles Vivem! é um tremendo clássico. Uma crítica ácida ao consumismo da sociedade moderna. Nessa história o nosso protagonista (Nada, um trabalhador braçal meio andarilho) encontra por acaso um par de óculos escuros que permite que ele veja a verdade sobre nosso mundo: anúncios de revistas e jornais ficam quase em branco, substituídos por ordens simples e diretas como “Compre!” ou “Obedeça!”. Mensagens subliminares podem ser vistas em diversos lugares e, acima de tudo, perceber que diversas pessoas foram substituídas por alienígenas disfarçados.

A consciência repentina faz com que Nada comece uma luta para livrar a humanidade desses parasitas.

De cabeça lembro de duas referências mais modernas a esse filme. A primeira está no jogo “The Simpsons – Bart vs. Space Mutants”, no qual logo na primeira fase Bart encontra um óculos de sol que permite que ele faça a distinção entre humanos comuns e pessoas que estão sendo controladas pelos alienígenas. A segunda é a frase “I have come here to chew bubblegum and kick ass… and I’m all out of bubblegum.”, dita pelo protagonista e repetida pelo imortal Duke Nukem, o “herói” mais politicamente incorreto dos games em estilo FPS.

Aqui o gancho é muito claro: os personagens jogadores encontram os tais óculos escuros e descobrem a cruel realidade oculta. Como sair dessa?

 

Por hoje é só, pessoal! Nos vemos na semana que vem!

Compartilhe:
Top